Windows, seu sistema de arquivos e a moda antiga de ser odiado

O problema

Durante um dos vários cursos que estou fazendo meio que em paralelo, me deparei com um problema. Um aplicativo web de postagens, onde o foco era aprender CRUD (Create, read, update and delete) em NodeJS funcionava perfeitamente local, mas quando subia para o site Heroku (uma ótima plataforma online para criar e entregar aplicativos web) o app não funcionava, retornando somente o erro “Internal Server Error” no navegador.

Depois de muito quebrar a cabeça, comparando meu código com o de outros programas similares em NodeJS e sem ter muito sucesso em buscas e analisando os logs, percebi que o erro era o “path”, a rota. O caminho que estava setado nas rotas do código. Um simples “/ABOUT” quando corrigido para “/about” resolveu o problema do deploy.

Funcionou, mas fiquei curioso e fui correr atrás, e o que aconteceu é que o filesystem local do windows ignora, ou converte a “caixa” do parâmetro, e tanto faz ABOUT ou about, já as variações de UNIX como a do servidor do Heroku, ou em um OSX não toleram essa diferença.

Opiniões

Ai claro, conversando com um amigo programador deu aquela discussão. Ele como a maioria do ramo tem uma certa raiva, bem fundada, por tantas limitações que o Windows tem quando se quer desenvolver. Segundo ele a grande dificuldade é quando se precisa trabalhar com alguma biblioteca open-source que não tem suporte nativo ao sistema operacional, e esses erros de path e outras peculiaridades.

Na minha opinião, como novato na área, o sistema operacional é uma ferramenta, e não um relacionamento em que devo amar ou odiar, sendo que muitos dos problemas que vejo desenvolvedores antigos reclamando não me afetaram, ainda, mas o que vejo é a atitude da Microsoft em tentar melhorar isso, o próprio Win10 tem suporte nativo ao sistema de arquivos linux desde 2016, claro é algo que precisa ser instalado e configurado, mas também não tive dificuldade alguma em instalar o GIT no windows e usar o Bash com alguns poucos cliques.

Sinto que todo o ódio contra o sistema operacional é raiva antiga, da época em que realmente as limitações eram maiores que os benefícios, mas em pleno 2018 em que temos todos os IDE em todos os OS, e que a aceitação do IDE “nativo” do windows, VS Code (suportado em OSX e Linux também), tem crescido muito rapidamente, penso que deixar de ter acesso a todas as outras qualidades do sistema atual mais utilizado, maior compatibilidade com aplicativos, conteúdo de mídia, desempenho e compatibilidade com hardware e principalmente jogos, não é viável. Não me importo em ter de seguir um passo ou dois a mais pra configurar um servidor ou uma biblioteca específica de vez em quando se 99% do restante do meu conteúdo roda bem, ou melhor, que em qualquer outro sistema operacional. E como qualquer ferramenta, se precisar de algo específico em outro OS, é só trocar a ferramenta, ou usar as duas ao mesmo tempo.

Mas, seguindo a estatística, é bem provável que daqui a alguns anos eu também comece a odiar o Windows por algum motivo que ainda desconheço.

“O gênio não é o pincel”.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *